Monday, June 26, 2006

É oficial...

...eu declaro guerra aos galos!

E nem me venham com a história de que bom que é ouvir os sons da natureza.
Sabem aquela história de que o galo é madrugador e canta o despertar? Puro mito. Este galo, canta às hora de que lhe dá na telha. Seja às 6 da tarde, às 2 da manhã ou às 6. É uma questão de lhe apetecer. E depois a única coisa que me resta é ter repetidamente o mesmo sonho: de que tenho um galo na almofada do lado à espera que eu adormeça para logo mandar um satisfeito cacarejo no meu ouvido.

5 comments:

Sara Magalhães said...

Chamam-se palheiros, esses seres desprezíveis..também já tive um no quintal do vizinho e sou solidária com o teu desespero e com as tuas noites mal dormidas ;)...é que para além de cantarem a qualquer hora, minuto, segundo..são de uma desafinação atroz...terrível esse animal!!

Arturo O.Bandini said...

Dizem que se deixar o dito cujo numa panela de pressão com batatas por bastante tempo a carne dura cede o suficiente. E o melhor, ele pára de cantar!

Abraços,

Arturo.

Joana said...

Podia ser pior, como um homem com problema nasal a ressonar do teu lado como um helicopetro, parece-me mais perturbador, o galo sempre faz um som menos desagradável e está mais longe!
Mas a ideia do galo na panela de pressão parece-me a melhor, parece que pará mesmo de cantar, dizem por ai...

lenca said...

Pois, são os palheiros que é o mesmo que dizer os galos mais chatos à face da terra.

E de facto, imaginei várias histórias para aquele galo, nenhuma delas com final feliz para ele :))!! Às vezes acho que os sonhos que tenho enquanto cacarejo têm-no como personagem central.

catarina said...

por haver muitos galos desses inventaram a gripe das aves... a natureza sabe o que faz...