Tuesday, July 18, 2006

Instinto...


Meu Martim não tem bonecas... não que haja algum preconceito familiar a esse nível, mas nunca nos ocorreu, nem ele nunca pediu... como a maioria dos pais de rapazes oferecemos-lhe carros, ferramentas, bolas, soldados e piratas (estes últimos têm sido muito apreciados desde a ida à Disney, havendo cá em casa o "perna de pau" o "esqueleto", o "pirata gordo" e claro, o "Capitão Gancho", todos devidamente armados de espadas e acessórios afins). Estava assim o Martim envolvido neste cenário de lutas entre guerreiros e piratas, quando me aproximo e falo. O martim apressa-se a mandar-me calar com um: "Xiuu!! Esta a fazer nana!!". Olho e vejo o Capitão Gancho a ser embalado ternamente nos braços do meu filho. A brincadeira continua, o Capitão Gancho é colocado suavemente numa cama (com a espada em punho), mas rápidamente é erguido de novo e aconchegado com a seguinte justificação: "tá a chorar! Quer colo!".

Moral da história: não há como negar... o instinto materno ou paterno está em nós, e quem não tem cão, caça com gato... não sejamos preconceituosos: porque é que o Capitão Gancho não tem também direito a colinho e biberão? Também é filho de Deus! Quem sabe o Martim não fez uma brilhante descoberta: que o que os maus precisam é de colinho e beijinhos... quem não recebe, também não consegue dar... Meu filho ainda vai mudar o mundo...

3 comments:

Ju... said...

Ah, certamente que vai. Até porque, dizem os entendidos, que ninguém e totalmente bom ou totalmente mau o tempo todo. Adorei o post.
Beijos,

catarina said...

Obrigada Ju! Por vezes parece que as crianças percebem mais do ser humano do que os adultos...

Anonymous said...

Here are some links that I believe will be interested