Friday, July 14, 2006

Leituras VIII: Um amor feliz...




...de David Mourão Ferreira, está a ser um livro difícil de "digerir".

Passei anos, sem exagero, anos, à procura do momento ideal para conseguir ler este livro de que tantos falavam tão bem. Além de que tive aquela sensação de amor á primeira vista quando li o título. Tinha que escolher a altura ideal para ler este "amor feliz"... Encontrei essa altura, esse momento, há mais de um mês atrás e agora ando a evitá-lo, quase a fugir dele. Se está na mesa de cabeceira e eu estou no sofá, opto por tirar um livro da prateleira sob o ridiculo pretexto de que o outro está muito longe. Se vou para a praia, convençço-me de que aquele não é um livro que mereça ser lido na praia...
Mas a verade é que, depois de ter encontrado o momento perfeito, voltei a perdê-lo sem ter chegado à ultima página...

8 comments:

Magno Velosa said...

Comigo ainda foi pior. Tenho para aí a 7ª edição e só consegui até agora ler pequenos fragmentos. Mas vai chegar o tempo certo.

Ju... said...

Pois eu, depois de muito sofrimento e muitas leituras insatisfatórias, resolvi parar de sofrer. Agora é assim: se não gosto, largo e pronto. Sem dó!

Arturo O.Bandini said...

O livro é chato ou o problema é o tema?

lenca said...

Não sei explicar o problema, mas penso que só poderá estar em mim enquanto leitora porque os outros leitores com quem falei dizem que gostaram.

Arturo, Gosto do tema e o livro não é chato. Penso que talvez não me identifico com a escrita de D.M.F.

Ju, Pois, acho que me falta esse "sem dó". O que me chateia é, se toda a gente conseguiu ler, porque é que eu não consigo???

Magno, Estamos solidários!

Gonçalo said...

"Um Amor Feliz" acabou por ser um dos bons livros que li. Fi-lo há algum tempo e escolhi-o de forma tão anárquica como escolho outras leituras. Comecei devagar, sem grandes expectativas porque normalmente os bons poetas, como é o caso do DMF, não são brilhantes na prosa (eu, pelo menos, tenho tido péssimas experiências). Só que repentinamente o livro começou a ganhar terreno. E acabou por ganhar ao meu cepticismo inicial. Porque há, no romance, o desencanto e o intimismo que marca toda a escrita de DMF. Um Amor Felis é, segundo o próprio autor, "um cântico de amor e de paixão erótica; uma sátira política a certa nova sociedade portuguesa; um romance do romance em que se vêem acareados o narrador e o autor; um ajuste de contas comigo mesmo", em resumo, um ajustar de contas consigo próprio. A sério, poderá não ser um livro fácil. Não é, com certeza, a obra prima de DMF (é, no entanto, o seu livro mais lido), mas de qualquer maneira, "Um Amor Feliz" acaba por ser uma leitura compensatória. Para mim, pelo menos, acabou por ser.

Gonçalo said...

Há alguns erros no comentário anterior. Próprios de que não releu antes de publicar. E Feliz é com z, obviamente.

Anonymous said...

Gonçalo,

Obrigada pelo estímulo. Vou tentar "ir-me a ele" com mais empenho! Não te preocupes com as gralhas. Só não as entende quem não escreve com espontaneidade.

Nota: alguém por favor me diz como acabar com estes pseudo-comentários que aparecem do nada graças a estes spams informaticos??

Lenca

Anonymous said...

Here are some links that I believe will be interested