Sunday, April 02, 2006

Viagens II: O mundo do fim do mundo


A Patagónia...
Apesar do cenário que parece ter sido, pintado à mão, esta imagem é real. Retrata o amanhecer no Parque Nacional do Perito Moreno, em Cafalafate, na Patagónia Argentina.
Acho que foi a minha primeira viagem a uma "imensidão do nada" como lhe chamo. Sempre tinha viajado pelas cidades, habituada a ficar deslumbrada com grandes edifícios, com catedrais, a apreciar os pormenores da arte. O mundo do fim do mundo (usando um dos títulos do Sepulveda) é de tirar a respiração, mas pela imponência do vazio.
A Argentina é um país a não perder mas por favor não se fiquem por Buenos Aires. A "Paris" da América do Sul é fabulosa, sem dúvida, mas não percam o sul. Patagónia, as pamplas, Bariloche...
O norte também é bonito, as Cataratas podem ser vistas dos dois lados da fronteira, Brasileiro e Argentino. No primeiro estamos nas cataratas, no segundo temos uma visão mais afastada.
Mas, mais impotante que tudo, escolham uma boa companhia. Porque este é um daqueles destinos em que não vão conseguir ver tudo por mais tempo que tirem de férias e não querem perder tempo a discutir o que vão fazer, o que vão ver.
Uma viagem ao fim do mundo não se faz para isso, faz-se para "indo ao fim do mundo, ir ao fundo de nós"...

2 comments:

Anonymous said...

A propósito de livros e viagens acabei de ler um delicioso, "The Food of Love", de Anthony Capella. É um convite a uma vista gastronómica e cultural a Roma, com umas pinceladas aguçadas de sugestões gastronómicas, para além da inevitável história de amor. Li a versão inglesa mas sei também que há versão portuguesa. XX CM

Emanuel said...

Lembro-me bem desta foto. Fantástica.