Saturday, April 01, 2006

Viagens: Vista sobre NY

Esta é, de facto, uma belissima imagem. Foi tirada por mim mas sem grande mérito para a fotógrafa. O cenário aqui, é tudo.
Foi tirada há pouco mais de um ano numa viagem que fiz sozinha a Nova Iorque. Viajar sem companhia é uma mistura de um sem número de sensações, de sentimentos. Não sei agora porque o quis fazer, não me lembro bem. Mas do que me lembro, com clareza, foi de ter achado que iria ser a resposta para tantas questões que me assombravam. Como se a distância física alguma vez tivesse tido o poder de resolver algum problema. Adiante.
Viajar sozinha, dizia eu, foi uma experiência emocionante, inegualável. Resultou em Nova Iorque, porque andei no meio da multidão, no meio da cidade que (é verdade) não dorme. Fui aos museus, fiz os percursos turísticos, entrei nas lojas da 5ª avenida, fui a espectaculos da Broadway, tudo. Sozinha. E sabem que mais, não o preferia ter feito com nenhuma outra companhia que não a minha. Mas também reconheço: não foi a resolução para nenhum problema. Foi sim, um periodo suspenso no tempo, em que não tive que falar com ninguém, em que não tive que me explicar a ninguém, em que não tive que andar ao sabor de nenhum outro ritmo que não o meu. E isso é qualquer coisa de indescritivelmente delicioso.

4 comments:

Anonymous said...

Concordo plenamente ou não fosse uma eterna viajante solitária. É delicioso andar ao nosso ritmo e fazer amigos no desconhecido. Parabéns pelo Blog. Vou passar os olhos com regularidade, e comentar ou dar sugestões literárias caso não se importe. A livraria de Lisboa é lá para os confins do Bairro Alto. Ainda assim é um óptimo nome. Boa sorte e até breve. CM

lenca said...

Não só não me importo como agradeço! Obrigada pela visita e pelo elogio. Passe sempre por este cantinho agora ocupado pelo Ler Devagar...

Emanuel said...

Já vi esta fotografia e fico à espera que metas algumas das tiradas na Patagónia, essas sim valem a pena...

juliette said...

de repente, instalei s. paulo na foto. s. paulo onde se vive em sombra exactamente, onde a luz solar não toca os rostos.